Job Content

22/11/2023

O cuidado com a obesidade vai muito além de apenas implementar uma alimentação mais saudável e uma rotina de exercícios. Mas sim, entender sobre as respostas do próprio corpo, como a redução do estado inflamatório.

Isso porque, o estado inflamatório crônico pode ser extremamente prejudicial para desencadear outras doenças, como diabetes tipo 2. Desse modo, entender sobre o tema é fundamental para melhorar a qualidade de vida. 

Para isso, preparamos um conteúdo completo sobre estado inflamatório. Confira a relação com a obesidade, como reduzir a inflamação e muito mais. Boa leitura!

O Que É Estado Inflamatório Da Obesidade?

De modo geral, o estado inflamatório da obesidade refere-se a um processo inflamatório crônico que ocorre no organismo de pessoas com obesidade. A obesidade é reconhecida como doença pela Organização Mundial da Saúde e representa uma condição em que há acúmulo excessivo de gordura corporal. Desse modo, está frequentemente associada ao desenvolvimento de uma série de problemas de saúde.

Quando uma pessoa está acima do peso adequado, o tecido adiposo (gordura) no corpo aumenta em quantidade e tamanho. Por sua vez, esse tecido é metabolicamente ativo e libera substâncias químicas chamadas citocinas. 

O que são citocinas?

As citocinas são pequenas proteínas que atuam como mensageiros do sistema imunológico. Com isso, desempenham um papel crucial na regulação e coordenação das respostas inflamatórias do organismo. 

Vale ressaltar que elas podem ser classificadas em diferentes tipos, incluindo citocinas pró-inflamatórias e citocinas anti-inflamatórias.

No contexto da obesidade, ocorre um desequilíbrio na produção e liberação de citocinas pelas células adiposas, que aumentadas liberam mais citocinas pró-inflamatórias, como a interleucina-6 (IL-6), o fator de necrose tumoral alfa (TNF-α) e a interleucina-1 beta (IL-1β). 

Além disso, essas citocinas pró-inflamatórias têm efeitos negativos no organismo quando produzidas em excesso. Sendo assim, desencadeiam uma resposta inflamatória crônica de baixo grau no corpo, mesmo na ausência de infecção ou lesão aparente. 

Por outro lado, existem também as citocinas anti-inflamatórias, que têm a função de regular e controlar a resposta inflamatória, promovendo a resolução e o equilíbrio. 

Algumas dessas citocinas incluem a interleucina-10 (IL-10) e o fator de crescimento transformador beta (TGF-β). Portanto, é importante manter um equilíbrio adequado entre as citocinas pró-inflamatórias e anti-inflamatórias para uma resposta inflamatória saudável e equilibrada. 

O Que O Estado Inflamatório Crônico Pode Causar?

O estado inflamatório crônico também chamado de metainflamação está intimamente ligado a várias condições de saúde, incluindo doenças cardiovasculares, resistência à insulina, diabetes tipo 2, síndrome metabólica e doenças relacionadas à obesidade. 

Além disso, também está associado a um maior risco de certos tipos de câncer, doenças neurodegenerativas e distúrbios do humor, como depressão.

Portanto, a inflamação crônica resultante da obesidade e da produção excessiva de citocinas pró-inflamatórias tem efeitos prejudiciais no organismo. Ela pode causar danos aos tecidos, interferir na função hormonal, levar ao estresse oxidativo e prejudicar a regulação da glicose e do metabolismo lipídico. 

Como Reduzir O Estado Inflamatório?

Como podemos perceber, manter um estado inflamatório equilibrado é essencial para a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida. Afinal, a inflamação crônica está associada a uma série de doenças crônicas e condições de saúde que afetam negativamente a vida diária e a longevidade. 

Para reduzir o estado inflamatório da obesidade e promover a saúde, é importante adotar um estilo de vida saudável. Isso inclui uma alimentação equilibrada e nutritiva, bem como a prática regular de atividade física. 

A perda de peso, quando necessário, também pode ajudar a reduzir o estado inflamatório associado à obesidade. Além disso, estratégias para reduzir o estresse, melhorar a qualidade do sono e adotar hábitos saudáveis de vida são importantes. Por sua vez, contribuindo para o equilíbrio das citocinas e para a redução do estado inflamatório crônico. 

Consumir cápsulas EFEOM LL1 

Com a rotina agitada de trabalho e vida em família nem sempre é fácil realizar as mudanças de estilo de vida necessárias para recuperar e promover a saúde. Por isso, pesquisas científicas desenvolveram a composição das cápsulas EFEOM que tem efeito comprovado na perda de peso e redução do estado pró-inflamatório, modulando a produção de citocinas. 

A sinergia entre os nutrientes presentes nas cápsulas EFEOM promove também melhora da saúde intestinal e redução do estresse crônico. Portanto, contribuindo para a melhora da qualidade de vida e promovendo recuperação da homeostase a longo prazo.

Conclusão

É importante buscar um equilíbrio entre as citocinas pró-inflamatórias e anti-inflamatórias para uma resposta inflamatória saudável. Para isso, adotar um estilo de vida saudável é fundamental.

Além disso, incluir as cápsulas EFEOM na sua rotina diária de cuidados com a saúde pode ajudar a reduzir o estado inflamatório e promover a homeostase, o bem-estar e a qualidade de vida.

Acompanhe outros conteúdos sobre as cápsulas EFEOM e como melhorar a qualidade de vida acessando o Blog da Efeom.

Fonte: SANTAMARINA, A. B. et al. The Symbiotic Effect of a New Nutraceutical with Yeast β-Glucan, Prebiotics, Minerals, and Silybum marianum (Silymarin) for Recovering Metabolic Homeostasis via Pgc-1α, Il-6, and Il-10 Gene Expression in a Type-2 Diabetes Obesity Model. Antioxidants, v. 11, n. 3, p. 1–26, 2022. 

Notícias relacionadas