efeom

26/04/2022

O que são Alergias alimentares e beta-glucanos? A importância de um sistema imunológico competente funcionando adequadamente e bem equilibrado para a manutenção da saúde tornou-se notavelmente evidente nas últimas décadas. Aproximadamente desde a Segunda Guerra Mundial, houve uma aparente diminuição na prevalência de doenças infecciosas “tradicionais”. Ao mesmo tempo houve o aumento de doenças relacionados ao sistema imunológico, como as alergias.

Alergias alimentares em específico tem crescido entre as populações mais jovens. Parece provável que exista uma relação entre mudanças nos fatores relacionados ao estilo de vida com a maior incidência de alergias alimentares. O uso crescente de práticas higiênicas e de controle microbiológico tanto de alimentos quanto de produtos de uso diário e o estilo de vida mais urbano tem afastado o convívio humano com agentes microbianos. Com isso, ao longo da vida acabamos sendo menos expostos a agentes sensibilizadores do sistema imune e passamos a ter tolerância reduzida a agentes externos, que facilmente provocam reações alérgicas. A dieta e os hábitos alimentares podem ser um ponto de grande gatilho que afetar o funcionamento de vários parâmetros imunológicos, levando às chamadas alergias alimentares.

Alergias alimentares costumam ser processos alérgicos de surgimento rápido e muitas vezes severo. Nesses casos o sistema imunológico combate o alimento como se fosse um agente agressor. O processo desencadeia a libração de histaminas e imunoglobulinas como a IgE. As reações mais comuns são coceiras, vermelhidão e erupções da pele, inchaço rápido, especialmente na boca e garganta que podem comprometer a respiração e até causar choque anafilático. Esses processos alérgicos podem ser de alto risco e potencialmente fatais exigindo atenção médica de emergência. Os principais alimentos desencadeadores de alergias são: leite de vaca, crustáceos e frutos do mar, soja, trigo, amendoim e algumas frutas e castanhas.

O crescimento de alergias alimentares pode estar relacionado com a falta de estímulos imunológicos principalmente, mas não apenas nas fases iniciais de desenvolvimento da vida. Isso fez com que surgissem tentativas de prevenir ou mitigar reações alérgicas através do desenvolvimento de produtos alimentícios ou ingredientes alimentares direcionados a fortalecer o sistema imune de gerar pequenos desafios imunológicos que dessensibilizem o organismo.

Mas qual é a relação entre Alergias alimentares e beta-glucanos? Produtos e ingredientes alimentícios que apresentam potencial nesse aspecto, são os prebióticos, com destaque para os beta-glucanos. Os beta-glucanos possuem efeito comprovado em ativar o sistema imune, fortalecendo a resposta imunológica por parecem fortalecer a imunidade mediada por linfócitos Th1, possivelmente restaurando a maturação imunológica deficiente que pode ser causada por condições de vida excessivamente higiênicas.

Falando assim, um pouco de sujeira não parece ruim! Mas uma excelente alternativa ao contato com ambientes contaminados para o desenvolvimento do sistema imune é a suplementação de agentes como beta-glucanos que fortalecem o sistema imunológico mantendo os hábitos de higiene que também preservam a nossa saúde de doenças infecciosas.

Fonte:

Wichers H. Immunomodulation by food: promising concept for mitigating allergic disease? Anal Bioanal Chem. 2009 Sep;395(1):37-45. doi: 10.1007/s00216-009-2838-1. Epub 2009 May 20. PMID: 19455311; PMCID: PMC2724636.

Notícias relacionadas