efeom

21/12/2021

O sono é quase onipresente em todo o reino animal, desde moscas-das-frutas até nós seres
humanos precisamos do sono para manter o bom funcionamento do organismo. Ter padrões
de sono ruim podem afetar negativamente habilidades cognitivas, funções metabólicas e
também a longevidade.Nós seres humanos possuímos um mecanismo de ciclo do sono,
chamado ritmo circadiano que funciona como um “relógio biológico” sobre o qual se baseia o
funcionamento do cérebro e do organismo. Ele é influenciado pela variabilidade da luz, da
temperatura e de outros elementos do ambiente externo. Os ritmos circadianos influenciam o
funcionamento de quase todos os aspectos fisiológicos e comportamentais. Todos os
processos no corpo humano – incluindo a função cerebral – são regulados ao longo do ciclo de
24 horas, sendo que o mecanismo biológico que regula esses ritmos é dinâmico ao longo da
vida.


O funcionamento do relógio biológico está intimamente ligado ao desenvolvimento saudável
ao longo da vida. Com o avançar da idade, as mudanças do sistema circadiano levam muitas
vezes à redução das horas de sono, ou a noites de sono fragmentado. Essas mudanças de
padrão de sono podem afetar o comportamento, os mecanismos de regulação da temperatura
corporal, a produção de hormônios e a função do sistema imune, os ritmos do metabolismo,
como a homeostase da glicose, o metabolismo lipídico e a desintoxicação de xenobióticos.
Sendo que muitos ritmos metabólicos tem redução progressivo com a idade, contribui para o
aumento do risco de doenças metabólicas em adultos idosos, como diabetes, dislipidemia e
hipertensão.


Não devemos esquecer que vários ritmos no comportamento e na fisiologia se modificam à
medida que fazemos a transição do início para o fim da idade adulta. Embora muitas dessas
mudanças possam ser uma parte inevitável do envelhecimento, outras podem talvez
representar a operação de processos patológicos. No entanto, o hábito de dormir por poucas
horas ou noites de sono fragmentado podem ser altamente prejudiciais à saúde. Por isso
conhecer como nossos relógios biológicos mudam com a idade pode criar oportunidades
valiosas para melhorar a saúde e a longevidade.


Uma estratégia para melhorar os padrões de sono ao longo dos anos é através da
suplementação de fibras prebióticas como frutooligossacrídeos (FOS) e
galactooligossacarídeos (GOS). Essas fibras são capazes de interagir com a microbiota
intestinal, produzindo neurotransmissores como GABA (um desacelerador da atividade
cerebral), dopamina e serotonina (atuam no sistema nervoso central), ajudando a manter
padrões de sono mais profundo e restauradores. Por isso, o consumo de suplementos ricos em
fibras pode ser uma ferramenta simples e prática para retardar os efeitos do envelhecimento
de uma população que está vivendo cada vez mais.


Fonte:


Hood S, Amir S. The aging clock: circadian rhythms and later life. J Clin Invest. 2017 Feb
1;127(2):437-446. doi: 10.1172/JCI90328. Epub 2017 Feb 1. PMID: 28145903; PMCID:
PMC5272178.

Notícias relacionadas