efeom

24/01/2022

Os distúrbios do sono afetam significativamente a qualidade de vida de um grande número de
pessoas ao redor do mundo e por isso merecem atenção na busca de estratégias terapêuticas.
Uma das formas de intervenção amplamente estudada tem sido o uso de suplementos
nutricionais em busca de uma melhora significativa no bem-estar do sono. No entanto, a
relação entre os componentes nutricionais e o sono é complexa. Isso porque fatores
nutricionais podem variam dependendo dos diferentes padrões de dieta, das funções
digestivas e metabióticas de cada indivíduo. Além disso, a nutrição também pode afetar
profundamente outros fatores como a produção de hormônios e o estado inflamatório, que
direta ou indiretamente contribuem para o estabelecimento de doenças do sono.


Pesquisas atuais associam a microbiota intestinal a fatores que afetam o eixo metabólico –
circadiano do hospedeiro, como ciclos de luz / escuridão, ciclos de sono / vigília, dieta e
padrões alimentares. Como as bactérias intestinais possuem sua própria ritmicidade diária em
termos de composição, função e até em qual porção anatômica do intestino são encontradas,
evidências científicas tem mostrado que essas bactérias intestinais podem modular também os
ritmos de sono e metabolismo dos seres humanos por meio da produção dos metabólitos
microbianos, como butirato, derivados polifenólicos e vitaminas.


Alguns fatores estressantes do estilo de vida, como sono alterado e padrões alimentares pouco
saudáveis que podem perturbar o sistema circadiano do hospedeiro e também influenciar o
microbioma intestinal. Assim, distúrbios nos ritmos do microbioma podem, pelo menos
parcialmente, contribuir para um risco aumentado de obesidade e síndrome metabólica
associada ao sono insuficiente e desalinhamento circadiano.


Um bom sono e uma dieta saudável parecem ser essenciais para manter o equilíbrio
microbiano intestinal. No que diz respeito à dieta, os prebióticos se destacam como o principal
responsável por proporcionar o desenvolvimento de uma microbiota mais saudável. Esses
prebióticos são principalmente as fibras solúveis como frutooligossacarídeos (FOS),
galactooligossacarídeos (GOS) e beta-glucanas. Quando chegam ao intestino, essas fibras além
de estimular o aumento da variedade microbiana na luz intestinal, também passam a
promover o crescimento de colônias bacterianas benéficas à saúde.


Essas bactérias consideradas benéficas, são as principais responsáveis por fermentar as fibras
solúveis, se alimentando dessas fibras e produzindo ácidos graxos de cadeia curta a partir
dessas fibras. Com o aumento das colônias intestinais de bactérias benéficas, a produção dos
ácidos graxos de cadeia curta, principalmente butirato, acetato e propionato, também é
elevada.


Estes ácidos graxos de cadeia curta são então absorvidos pela parede intestinal, atingindo a
corrente sanguínea que os transporta até o sistema nervoso central. No cérebro esses
metabólitos fazem a sinalização de promoção do sono, estimulando ritmicamente o aumento
de sono das fases de sono mais reparador durante a noite e inibindo a sensação de fadiga
durante o período diurno. Essa capacidade de promover o sono reparador evidencia a
importância do consumo de prebióticos não apenas com função de regulador intestinal, mas
também sobre outros sistemas de funcionamento do corpo humano.


No entanto com a rotina intensa e muitas vezes exaustiva do dia-a-dia, nem sempre é possível
consumir as quantidades adequadas de todos os nutrientes necessários para uma vida mais
saudável a longo prazo. Por isso, o consumo de suplementos ricos em prebióticos pode contribuir para manipular os ritmos diários da abundância e atividade da microbiota intestinal.
Sendo uma promessa para uma abordagem baseada na crononutrição para consolidar os
ritmos circadianos e o equilíbrio metabólico, representando uma estratégia para intervenções
baseadas na microbiota.


Fonte:
Zhao M, Tuo H, Wang S, Zhao L. The Effects of Dietary Nutrition on Sleep and Sleep Disorders.
Mediators Inflamm. 2020 Jun 25;2020:3142874. doi: 10.1155/2020/3142874. PMID:
32684833; PMCID: PMC7334763.

Notícias relacionadas