efeom

26/01/2022

Se você acompanha os artigos publicados aqui, já sabe que a microbiota está relacionada à uma variedade de doenças, desde asma a doenças cardíacas, diabetes e obesidade. A microbiota humana desempenha um papel na patogênese de cada condição crônica de saúde que assola a sociedade atual.

Trabalhos recentes mostraram que a microbiota intestinal e os metabólitos produzidos por ela possuem uma ritmicidade diurna, ou seja, os micro-organismos que compõem a microbiota intestinal trabalham de maneira mais eficiente durante o dia onde há ao ciclo de alimentação / jejum, diferentemente do período noturno onde normalmente há um longo período de jejum enquanto dormimos.

Tanto um sono fragmentado quanto a curta duração do sono estão associadas à disbioses intestinais, que pode ser devida à ativação do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal que é responsável por manter a capacidade do organismo de responder a episódios de estresse agudo e prolongado como a privação ou redução do sono. Os distúrbios metabólicos associados à perda de sono podem, ser mediados pelo crescimento excessivo de bactérias intestinais específicas. Essas bactérias que crescem em resposta à perda de sono produzem metabólitos capazes de induzir a fadiga agravando o estado de estresse. Além disso, situações de estresse persistente, um estilo de vida pouco saudável com alimentação desbalanceada e sedentarismo também podem prejudicar a composição da microbiota.

Há evidências de que o microbioma intestinal não apenas afeta as funções digestivas, metabólicas e imunológicas do hospedeiro, mas também regula o sono do hospedeiro e os estados mentais por meio do eixo microbiota-intestino-cérebro. A microbiota intestinal é uma fonte de sinais que promovem o sono através dos metabólitos bacterianos e os componentes da parede celular bacteriana que fazem a ligação entre a flora intestinal e os mecanismos de geração de sono no cérebro. Um desses metabólitos é o butirato, um ácido graxo de cadeia curta produzido pelas bactérias intestinais pela fermentação de fibras prebióticas. O butirato pode servir como um sinal de promoção do sono derivado de bactérias, aumento sono não rápido dos olhos (NREMS) desempenhando um papel na modulação do sono pela microbiota intestinal. 

Por isso, o consumo de fontes e/ou suplementos prebióticos pode ser uma ferramenta não medicamentosa para evitar disbioses intestinais e promover a melhora do sono através da produção de ácidos graxos de cadeia curta. Deste modo, qualidade e composição saudável da microbiota intestinal podem ser um alvo importante para promover a melhora da qualidade e duração do sono.

Fonte:

Matenchuk BA, Mandhane PJ, Kozyrskyj AL. Sleep, circadian rhythm, and gut microbiota. Sleep Med Rev. 2020 Oct;53:101340. doi: 10.1016/j.smrv.2020.101340. Epub 2020 May 13. PMID: 32668369.

Notícias relacionadas