efeom

29/03/2023

O diabetes é o aumento de açúcar no sangue. Quando o caso se agrava, é preciso entender qual é o tipo de diabetes, as causas e iniciar um tratamento específico. Entenda:

Quando nos alimentamos, é normal que a quantidade de glicose no sangue aumenta e seja transformada em energia para o bom funcionamento do corpo, isso graças a ação da insulina produzida naturalmente. Mas quando o pâncreas, órgão responsável pela produção da insulina, já não faz o seu trabalho com eficiência, este açúcar nos sangue começa a trazer problemas, ou seja, o diabete e a insulina precisam ser aplicados em forma de medicamento. É desta forma que começa a aumentar os níveis de glicose no sangue e o paciente passa a desenvolver a doença.

Como ocorre o funcionamento do organismo

Por definição, a resistência à insulina pode ser descrita como o comprometimento da ação da insulina. 

A insulina é o hormônio pancreático responsável por transportar a glicose da corrente sanguínea para o interior das células. Em casos de resistência à insulina, esse transporte é prejudicado levando ao acúmulo de glicose na corrente sanguínea, também conhecido como hiperglicemia que está presente tanto em casos de resistência à insulina, pré-diabetes e diabetes tipo 2.

O pré-diabetes é um estado de hiperglicemia em que o limiar para diabetes ainda não foi atingido, podendo levar ao desenvolvimento de diabetes tipo 2 e também de doenças cardiovasculares. O pré-diabetes pode evoluir para o diabetes tipo 2 em si, que é caracterizado pelo elevado nível de glicose no sangue, resistência à insulina e diminuição ou ausência da produção de insulina. Em muitos casos os sintomas manifestam-se de forma gradual e lenta. Os principais fatores relacionados 

com o surgimento dessas doenças estão a obesidade, o sedentarismo e uma alimentação pouco saudável.

A hiperglicemia leva ao aumento da produção de marcadores de inflamação crônica como as citocinas, contribuindo para a geração de espécies reativas de oxigênio (EROS), o que acabam por causar estresse oxidativo. Por outro lado, o aumento do estresse oxidativo e a inflamação podem levar à resistência à insulina e diminuição da secreção de insulina. Levando a formação de um ciclo vicioso entre hiperglicemia e resistência à insulina. Por isso, o tratamento adequado da hiperglicemia e inibição da superprodução de EROS é crucial para prevenir o início do diabetes.

Como reduzir os riscos de ter diabetes?

A mudança de estilo de vida, hábitos alimentares, além de manter a prática de atividades físicas, são algumas maneiras de reduzir a possibilidade de desenvolver o diabetes. Diante disso, ainda é preciso saber se você pode herdar a doença de seus familiares, porque o diabetes é hereditário.

Mas existem alguns outros cuidados e atenção com a sua saúde que reduz possibilidade de desenvolver a doença, são eles:

 👉 Reduz  o consumo de açúcar nas suas refeições e fora delas;

👉Aumente a quantidade de alimentos integrais na sua alimentação;

👉Alimentos ricos em fibras reduzem os riscos de diabetes;

👉Pratique atividades físicas com regularidade;

👉Mantenha o peso sob controle;

👉Evite o álcool e o tabagismo.

Diabetes: uma doença silenciosa

Por ser uma doença silenciosa, o diabetes afeta milhões de pessoas em todo o mundo e está entre as dez primeiras causas de morte. Entre as complicações que podem surgir a longo prazo estão doenças cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais, retinopatia diabética que pode causar perda da visão, insuficiência renal e problemas de cicatrização.

Considerando as altas taxas de prevalência de doenças metabólicas ligadas à resistência à insulina, estudos sobre a microbiota intestinal têm crescido consideravelmente abordando o papel da microbiota intestinal como mediador cardiometabólico na modulação da sensibilidade à insulina. 

Os dados disponíveis mostram os efeitos benéficos consistentes da suplementação de prebióticos e alguns probióticos para manter a integridade da barreira intestinal, e bom funcionamento do sistema imunológico e metabolismo a longo prazo em pessoas com obesidade e risco cardiometabólico. Desta forma, a suplementação com prebióticos e probióticos, associada a um estilo de vida saudável, pode representar uma estratégia para prevenção do surgimento de quadros de resistência à insulina. Assim como, em combinação com terapias medicamentosas quando necessário, atuar como uma terapia integrativa promovendo um melhor controle da doença para pessoas diabéticas.

Gostou deste conteúdo? Se interessou pelos nossos produtos? Acesse nosso site e conheça melhor nossos produtos. Continue acompanhando nosso blog e saiba mais.

banner para download do e-book da Efeom

Notícias relacionadas